"É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança". Confira nossa matéria especial de Dia das Mães e saiba como ajudar mães e filhos.

24/04/2017 13:34

O Dia da Mães tem sua origem na Grécia Antiga, quando eram realizadas celebrações na entrada da primavera em homenagem a Reia, mãe de Zeus. Mas a data, nos moldes que conhecemos hoje, surgiu no século passado nos Estados Unidos, em homenagem às mães que perderam seus filhos na Guerra Civil estadunidense, sendo instituído feriado nacional em 1914. Aqui no Brasil a data começou a ser celebrada em 1918, através da Associação Cristã de Moços (ACM), sob forte influência norte americana. Mas foi só em 1932 que a data foi oficializada durante a Presidência de Getúlio Vargas e passou a ser celebrada todo segundo domingo do mês de maio. 

Ainda que hoje predomine o apelo comercial, a data pode ser um convite para celebrar e também refletir acerca dos desafios que envolvem a maternidade, pois ser mãe pode ser uma experiência maravilhosa, mas apresenta inúmeros desafios e dificuldades. 

Há um provérbio africano que diz: "É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança". O documentário "O Começo da Vida" traz uma importante reflexão acerca do papel de toda a sociedade na criação e educação das crianças, em especial no período da primeira infância. Um futuro melhor exige que nós olhemos com atenção para nossas crianças e isto não é papel apenas das mulheres que dão a vida a elas. Precisamos, como sociedade, nos conscientizar sobre o nosso papel na educação de nossas crianças e em nosso comprometimento com as mães que carregam mais de perto este desafio. Cada um de nós pode contribuir nesse processo. Abaixo, destacamos alguns projetos que auxiliam mães e filhos e outras dicas de como você pode fazer parte dessa "aldeia":

 

  • Projeto "Mães no Enem & Mães na Universidade"

Criar filhos e estudar ao mesmo tempo é uma tarefa incrivelmente árdua. Muitas mulheres abandonam os estudos por não terem, por exemplo, com quem deixarem seus filhos. A partir de uma mobilização via Facebook, um grupo de mulheres criou o "Mães no Enem". Inicialmente, o projeto contava com mulheres que se disponibilizavam a cuidar dos filhos de outras mulheres nos dias de prova do Enem e outros vestibulares. A ideia deu tão certo que o projeto cresceu e hoje busca criar uma rede de apoio às mães que estão cursando a universidade. Atualmente, o projeto está com uma campanha de doação de notebooks e tablets que serão destinados à mães universitárias de baixa renda. Mas existem diversas formas de ajudar o projeto: aulas de reforço das disciplinas, aulas das disciplinas do Enem, doação de livros, apostilas e material escolar, ajuda com xerox e encadernação, disponibilidade em cuidar das crianças durante período de provas, empréstimo de livros, caronas, etc. Curta a página do projeto no Facebook ou mande um e-mail para maesnoenem@gmail.com e saiba como ajudar. 

  • Mães da Sé

Desde 1996, o Mães da Sé apoia famílias, em especial mães, na busca por pessoas desaparecidas. O projeto nasceu em São Paulo, mas hoje atua em todo o Brasil, dando apoio psicológico, assessoria jurídica e auxílio na divulgação às famílias de desaparecidos. A organização já cadastrou mais de 10 mil casos de pessoas desaparecidas, dos quais mais de 4 mil foram encontradas e retornaram às suas famílias. O Mães da Sé conta com apoio de voluntários, em especial psicólogos, assistentes sociais e advogados. Entre em contato pelo site e saiba como ajudar. 

  • Programa Família Acolhedora

É uma iniciativa do poder público lançada em 2006, que consiste em cadastrar e capacitar famílias da comunidade para receberem em suas casas, por um período de seis meses, crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social, dando-lhes acolhida, amparo, aceitação, amor e a possibilidade de convivência familiar e comunitária. As famílias acolhedoras não se comprometem a assumir a criança como filho. São, na verdade, parceiras do sistema de atendimento e auxiliam na preparação para o retorno à família biológica ou para a adoção. Casais, mulheres e homens solteiros podem ser acolhedores. As famílias acolhedoras são selecionadas, capacitadas e acompanhadas pela equipe técnica do Serviço de Acolhimento local e recebem uma ­ajuda de custo de um salário mínimo por mês. Para saber mais e verificar se o Programa existe em sua cidade, clique aqui. 

  • Casa Vovó Ilza

A Casa Vovó Ilza, localizada no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, é um dos projetos da Associação Beneficente Santa Fé e oferece moradia para meninas de 11 a 18 anos grávidas ou acompanhadas de seus filhos. Em sua maioria, são meninas em situação de rua, vítimas de maus tratos, abuso sexual, prostituição e uso de drogas, sem vínculo familiar ou com vínculos muito tênues. Entre mães e filhos, são 22 crianças e adolescentes. Elas chegam via Conselho Tutelar e são abraçados pela casa para que vivenciem a maternidade precoce de forma construtiva e harmoniosa. A Casa sobrevive através de doações (dinheiro e itens) e conta com a ajuda de voluntários para o desenvolvimento de diversas atividades. Além disso, todo o dinheiro arrecadado numa lojinha online de roupas usadas é revertido para a manutenção da Casa. 

  • Cozinhando para uma mãe

Uma das dificuldades que as mães costumam ter, por conta da dupla jornada, é a de se alimentarem bem e oferecerem refeições saudáveis para seus filhos. Pensando nisso, Laura Helena Lopes, uma psicóloga de 27 anos, usou seu Facebook no ano passado para oferecer ajuda a mães solteiras que tenham essa dificuldade (veja notícia completa aqui). Ela se disponibilizou a cozinhar papinhas e marmitas de bebês para toda a semana, congelando e entregando de maneira gratuita. Laura, que gosta de cozinhar e aproveitou parte de seu tempo livre nos finais de semana para isso, pediu apenas que as mães fornecessem os ingredientes e os recipientes das marmitas. A atitude da Laura inspirou outras pessoas a fazerem o mesmo, criando uma rede de ajuda às mães e seus filhos. Você pode fazer como a Laura, ajudando desta forma uma mãe na sua família, no seu bairro ou no seu trabalho. Ou ainda, pode se inspirar na história da Laura para pensar em como você pode ajudar mães de seu convívio, fazendo o que gosta e tem disponibilidade. 

  • Doação de kits de higiene às mães em hospitais

Muitas mães passarão o Dia das Mães acompanhando seus filhos em hospitais. São mulheres que, não raramente, estão "morando" há meses nos hospitais acompanhando seus filhos em tratamentos longos e desgastantes. Nessa rotina bastante difícil, na qual elas estão cuidando de alguém, a maioria delas não consegue se sentir cuidada. Por isso, uma ideia interessante que alguns grupos promovem é a entrega de kits de higiene e beleza nos hospitais no Dia das Mães. É uma pequena lembrança para que nesta data significativa, na qual elas não podem comemorar do jeito que gostariam, elas sintam-se cuidadas e abraçadas. Você pode juntar os amigos e colegas para que doem itens como sabonetes, creme dental, escova de dentes, shampoo, condicionador, desodorante, absorventes, etc., e no fim, reunir todo mundo para montar os kits. Escolham um hospital próximo e peçam orientação para que vocês possam oferecer os kits às mães que estão acompanhando seus filhos em tratamento.

 

 

Neste Dia das Mães, além de celebrar, reflita sobre o seu papel na "aldeia" e como você pode contribuir para o pleno desenvolvimento das crianças e apoio às mães, sejam elas de seu convívio ou não.

Feliz Dia das Mães! 

Você precisa estar logado para comentar e interagir!
Login ou Cadastre-se