Dia das Crianças: 5 dicas para pintar o sete

01/10/2018 09:31

Você já sabe, mas não custa reforçar: 12 de outubro é o Dia das Crianças. E quando se fala em criança, na hora pensamos naquelas brincadeiras divertidas que fazíamos (e alguns fazem até hoje, não é verdade?). Pois saiba que todas essas atividades, segundo especialistas, são muito importantes para os adultos que nos tornamos. Afinal, elas desenvolvem habilidades como resiliência e raciocínio lógico, além de ensinar regras de convivência, criatividade e trabalho em equipe — características de um bom trabalho voluntário, não é? Isto para não falar dos benefícios físicos (imagine quantas calorias um pique-pega gasta!).

A lista é grande e reforça a necessidade de incentivarmos os pequenos a brincar — algo que, hoje em dia, dadas as preocupações com segurança, a falta de espaço e, em alguns casos, excesso de tarefas impostas pelos pais, está ficando mais difícil do que deveria.

Ciente de todos esses benefícios, o Portal do Voluntariado pinta o sete com uma série de dicas para você organizar brincadeiras com sua família e atividades junto a instituições parceiras que cuidem de crianças.

Dá uma olhada:

Cada idade, uma brincadeira

Em cada fase de desenvolvimento, os pequenos apresentam comportamentos e formas de interações específicas, que precisam ser respeitadas. Até três anos, por exemplo, recomendam-se jogos com encaixe de peças (grandes, para que não engasguem, pois nesta fase gostam de levar objetos à boca) e brincadeiras musicais. Sempre, claro, acompanhados por adultos.

Na faixa de três a seis anos, a criança é mais independente e gosta de contato com a natureza. Bicicletas, patinetes e bolas, por exemplo, atraem a atenção, mas requerem cuidados e equipamentos, como capacetes, para evitar acidentes. Também se indica brincadeiras interativas, que estimulem a imaginação e iniciem os pequenos na competição. Exemplos são “seu mestre mandou” e “pega-pega”.

A partir dos sete anos, a preferência se volta para atividades em grupo, como futebol, queimada e vôlei. Jogos de tabuleiro também são uma boa, pois estimulam a concentração e o raciocínio.

É bom lembrar que os jogos eletrônicos não devem ser crucificados. A tecnologia faz parte de nossas vidas, inclusive do cotidiano dos pequenos, e pode e deve ser utilizada como forma de diversão e aprendizado. Aos pais cabe impor limites e conteúdos adequados a cada faixa etária.

Escolha uma atividade

Pensou na faixa etária com que vai brincar? Legal, então é hora de se preparar. Junte seus colegas e troquem ideias. De quais brincadeiras gostavam mais quando eram pequenos? É possível reproduzi-las hoje? Se a memória não estiver muito boa, tudo bem. Aqui há uma lista de cem atividades típicas dos brasileiros. Não faltarão opções para vocês colocarem em prática.

Prepare o material

Escolhida a atividade, é hora de preparar os materiais. Bolas, papéis, tintas, fitas, tabuleiros ou mesmo um simples giz. Aqui a imaginação é quem manda (mas se quiser uma ajuda, esta apostila traz uma série de dicas de como montar brinquedos e atividades).

Organize uma ação

Procure uma Instituição que trabalhe com crianças em sua região e organize uma visita. Identifique se existe uma oportunidade de realizar uma ação, convide seus colegas e familiares e publique no Portal, clicando AQUI (a ação passará por uma validação da Coordenação do Programa Voluntários Bradesco).

Registre os resultados

Após realizar as atividades, não deixe de compartilhar os resultados na própria página de sua ação. 

Brincar pode ser mais divertido e produtivo do que você imagina!

 

Você precisa estar logado para comentar e interagir!
Login ou Cadastre-se